Qual tipo de Sálvia é o melhor para você?

Você ouviu alguma propriedade terapêutica do óleo de Sálvia. Rapidamente foi até uma loja, online ou física. Mas, para sua surpresa, existe mais de um tipo de óleo Sálvia. Aliás, existem três! A Sálvia (Salvia officinallis), a Sálvia Sclarea (Salvia sclarea) e a Sálvia Blue Mountain (Salvia stenophylla). Qual delas é a mais adequada para você?

 

As três Sálvias, como seus primeiros nomes indicam, pertencem à mesma espécie. Contudo, seus óleos essenciais são completamente diferentes. Considerando seus principais componentes químicos, aromas e usos terapêuticos, podemos diferenciá-las da seguinte maneira:

 

1- Sálvia Sclarea (Salvia sclarea)

 

 

A Sálvia Sclarea é uma erva altamente aromática, bienal ou perene, que chega a atingir 1 metro de altura, com grandes folhas verdes enrugadas e aveludadas e  flores roxas-azuis.O óleo essencial é verde-amarelado claro e tem um aroma adocicado, folhoso e que lembra nozes.É um dos óleos essenciais mais eufóricos, podendo até mesmo produzir um “barato” se utilizada em grandes quantidades. Alivia a inflamação, aquece e é relaxante.

 

O óleo de Sálvia Sclarea é composto predominantemente por um Éster monoterpênico (43 % da composição total): o Acetato de Linalila. Seu aroma é floral e adocicado. Ele tradicionalmente é considerado o óleo de mulher. É um óleo de uso seguro. É o óleo ideal para quem procura efeitos bactericidas, anti-inflamatórios (bom para acnes) e dismenorreia. 

 

2- Sálvia (Salvia officinalis)

 

 

 

A Sálvia Officinalis é uma erva perene, que cresce em forma de arbusto, podendo chegar a oitenta centímetros de altura.Com uma base de madeira, folhas ovais e grande quantidade de flores de azul profundo ou de tom violeta. Já é usada desde a antiguidade, tanto pelo uso culinário quanto pelo uso medicinal; era chamada pelos romanos de herba sacra.Tem sido usada para uma variedade de desordens, incluindo infecções respiratórias, dificuldades menstruais e problemas digestivos.

 

O óleo de Sálvia officinalis já tem uma composição completamente diferente. Em sua maioria é composto de Cetonas monoterpênicas (44 % da composição total), como a Alfa-tujona e a Cânfora. Como seria de se esperar, seu aroma é canforado e terroso. Também é um potente bactericida e poderoso anti-fúngico, tendo aplicações semelhantes para problemas como acne e amenorreia.

 

Porém, é um óleo que necessita alguns cuidados especiais (principalmente pela alta quantidade de Cetonas): 0,4% de diluição é o nível máximo de uso cutâneo recomendado. Não é recomendado seu uso durante a gravidez e amamentação. Não é recomendado seu uso em crianças. Altas concentrações podem irritar a pele. Quando mal aplicado, pode ser neurotóxico.

 

 

3- Sálvia Blue Montain (Salvia apiana)

 

 

A Salvia Blue Montain é um arbusto muito ramificado e reto que atinge até 1 metro de altura e largura em estado selvagem.Os caules são quadrados e levemente cobertos de pelos. As folhas são longas e estreitas com os lóbulos profundos. Possuem uma fragrância forte e são ásperas ao toque. Das folhas pode-se fazer um chá usado para aliviar problemas digestivos, resfriados, tosse, congestão no peito, e aliviar problemas respiratórios. Pode ser colocado em feridas, arranhões e picadas, dando alívio e fornecendo uma sensação de resfriamento. A erva contém agentes antibacterianos e anti-inflamatórios. As folhas desta planta são repelentes de insetos naturais quando queimadas. O óleo é usado para aliviar o stress e promover o relaxamento. É usado em massagens e é eficaz em casos de bronquite e sinusite.

 

O aroma deste óleo é pungente e herbáceo com notas frescas e verdes. Este óleo também trás uma composição completamente diferente dos dois anteriores. Seu principal componente é um álcool sesquiterpênico, o alfa-bisabolol (cerca de 40% da composição total) e também possui quantidades consideráveis de limoneno. 

 

 

Como você pode ver, apesar destes três óleos serem de Sálvia, é praticamente só o nome o que tem em comum! E então, qual Sálvia é a que vocês está precisando agora?

 

 

Alguma dúvida a respeito de Aromaterapia e Óleos Essenciais? Fique a vontade para fazer sua pergunta abaixo, nos comentários, ou entre em contato em nosso email: editorial@oshadhi.com.br. Quando respondermos ao seu comentário, você receberá um aviso em seu email (lembre-se de conferir sua lixeira e spam). 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Alguma dúvida a respeito de Aromaterapia e Óleos Essenciais? Fique a vontade para fazer sua pergunta abaixo, nos comentários, ou entre em contato em nosso email: editorial@oshadhi.com.br. Quando respondermos ao seu comentário, você receberá um aviso em seu email (lembre-se de conferir sua lixeira e spam).